Lealdade e Simplicidade

Francisco Eustáquio Pereira, o Macarrão, 54 anos

postado em 15 / 9 / 2020

     Com 35 anos de casa, Francisco Eustáquio Pereira, o Macarrão, 54 anos, é um patrimônio da Coopel. Gentil, comunicativo e muito comprometido com seu trabalho, o colaborador ingressou na Cooperativa com apenas 18 anos, em 1985. “Comecei como limpador de carros, e, como eu gosto muito de ajudar, me chamaram para trabalhar com os frentistas na bomba”, relembra. “Alguns anos mais tarde fui chamado para ser gerente do lava jato e fiquei na função por um ano e meio, mas pedi para voltar para a bomba. É o serviço que mais gosto”, afirma. Mas o colaborador gosta
mesmo é de trabalhar na Coopel. “Trabalho feliz em qualquer função porque a Cooperativa é um lugar ótimo para trabalhar”,revela.
     Filho de uma família simples, Macarrão, acredita que, se não tivesse conseguido uma oportunidade na Coopel, teria
continuado a sustentar a sua família com o trabalho na roça (primeira ocupação profissional ao lado do pai) ou como ajudante de pedreiro. “Estudei até o início do ensino médio. Tive que parar de estudar para ajudar minha família e não me arrependo. Faria tudo novamente”, garante. Além disso, ele reconhece que a Coopel garante todos os direitos dos trabalha- Francisco Eustáquio Pereira, o Macarrão, 54 anos dores “pagando o salário em dia, as férias e incentiva muito o crescimento dos funcionários”, acrescenta.
     “Hoje tenho minha casa e uma vida estabilizada graças à Coopel”, aponta. Macarrão é bastante extrovertido e brincalhão. Contudo, o trabalho sempre está em primeiro lugar. “Gosto de trabalhar com gentileza, seriedade e adaptação àsmudanças”, explica.
     Fora da Coopel Francisco gosta de sair para bares e pizzarias. “Por causa da pandemia estou mais dentro de casa. Faço um churrasco de vez em quando, mas, não sou caseiro”. Macarrão torce para o Cruzeiro, mas já aposentou as chuteiras. “Hoje só assisto os jogos”.
     Um conselho que Francisco deixa para os mais novos é saber atender o cliente com muita atenção e fazê-lo sentir-se especial. “Somos prestadores de serviços e devemos buscar o melhor sempre”, acredita. “Também gostaria que os colegas mais novos ficassem menos atentos ao celular, isso não faz bem para o trabalho”, alerta. E outra prática recorrente do colaborador é a gratidão. “Agradeço a todos os que estiveram e estão comigo aqui na Coopel.
Somos uma família e trabalhar aqui é muito bom”. Francisco é casado com Ivandercy Afonso e o casal não tem filhos.


veja também

Muita Alegria e Profissionalismo

15 de Janeiro 2021

       Josiane de Souza da Silva define os 15 anos de dedicação à Coopel como uma “vida inteira”! A analista do laboratório chegou à Cooperativa em 2005 e iniciou suas atividades como assistente nesse mesmo setor e há quatro anos subiu
de cargo. “Durante todo esse tempo percebi muitas mudanças para a melhor tanto na minha carreira quanto na Cooperativa”, declara. “Com a estabilidade do meu emprego comprei minha casa, estudei e vou continuar estudando porque conhecimento nunca é demais!”.
          Antes de chegar à empresa, Josi trabalhou na Agropeu por três anos. A chegada na Coopel foi uma guinada na vida profissional. “Pompéu é uma cidade pequena e as empresas daqui dão poucas oportunidades. Aqui na Coopel eu tenho muitas oportunidades de ser muito mais no futuro”, analisa.
          Sua rotina de trabalho é mais solitária, no entanto, a profissional considera os colegas como uma segunda família. “Uma das melhores coisas é o convívio com os Josiane de Souza da Silva, colaborado da Coopel há 15 anos
colegas de trabalho. Fico mais sozinha no laboratório, mas, quando os vejo, me sinto em família. É outra família que fazemos”. As suas atividades fundamentais no dia a dia são a análise desolo e de água. “A análise do solo orienta o produtor a escolher o melhor adubo para corrigir deficiências e não comprometer o plantio. Já a análise da água é para saber a sua qualidade para o consumo humano. Além disso, a CCPR tem um rígido controle e exige a análise da água
para manter a alta qualidade do leite”, explica a profissional.
              Do ponto de vista das oportunidades, Josi relata que a Coopel tem profunda crença no crescimento por meio da educação. “Os gestores incentivam bastante e posso dar o meu exemplo: O Tiago conversou muito comigo para fazer o curso técnico de química e hoje estou matriculada no curso”.
               Nascida em Pompéu, Josi é reservada e muito caseira, mas não abre mão de passar momentos de felicidades ao lado de boas companhias junto da família e do noivo, que reside em Silva Campos.
 

Confiança e Sucesso

15 de Janeiro 2021

          A fazenda Vista Alegre, localizada no Distrito de Cana Bra va, em Paraopeba, é a menina dos olhos do produtor Elmo de Oliveira. Com muita dedicação o fazendeiro já contava com o apoio da Coopel para garantir a produtividade,
contudo, grandes resultados foram notados na propriedade a partir do momento em que essa promissora relação foi oficializada há quatro anos. “Já temos contato com a Coopel há mais de 12 anos. Com uma assistência mais detalhada e mais intensa, estou cooperado há cerca de quatro anos. Estamos juntos e obtendo resultados positivos”, avalia o produtor.
          Em 2020 Elmo consumiu produtos do armazém e desfrutou da alta qualidade do corpo técnico da Coopel. “Contei com o auxílio do agrônomo e da nutricionista com um retorno fantástico e uma atenção maravilhosa”, elogia. “A Cooperativa atua voltada para os interesses dos produtores”, acrescenta. Nesse período o fazendeiro aponta melhorias nos processos e na produção de sua propriedade. Um exemplo foi o contrato firmado para o fornecimento de grãos. “Fiz um contrato de grãos na Cooperativa (especialmente da soja) e foi muito vantajoso! Já tive assistência com agrônomo para plantio e resolvemos alguns problemas e estou tendo resultados positivos e é difícil mensurar”, explica.
          Outro serviço que deixou Elmo muito satisfeito foi a nutrição animal. “A nutricionista Adriana foi muito útil e quando ela entrou eu estava numa média mais baixa e usando uma ração sem suporte técnico. Com a chegada da nutricionista na fazenda houve grande melhoria na minha média na seca. Uma média de 23 que chegou a 27 e com o custo muito reduzido”, enumera. Esse suporte ajudou o produtor nas decisões de secagem antecipada, tentativa de melhora de produção e até mesmo a venda de animais. “Uma excelente profissional. Foi fantástico!”, reconhece. “Adriana parece ter experiências em outras áreas porque ela me ajudou até em questionamentos sobre a reprodução”,
disse impressionado.
Uma das principais mudanças nutricionais implantadas coma assistência foi a substituição dos minerais. “Eu usava minerais de uma marca conhecida e tinha medo de mudar com medo de interferir negativamente na produção e com os minerais da Coopel tive um melhor rendimento com um custo mais baixo”, constata Elmo.
          Para o futuro os planos são ousados e bem calculados com a assistência da Coopel. “Estou fazendo uma irrigação de plantio e estamos numa região cada vez mais seca e não dá para contar somente com as chuvas. A minha ideia é para que eu invista em um compost bar. Quero ver primeiro a produção, por isso o interesse em fazer a irrigação para ver qual a capacidade de sustentação que eu teria para o gado comer só silagem o ano todo. Parece que vai ser uma coisa que traz retorno”, lista Elmo.
              O produtor estende os elogios para outros membros da equipe Coopel. “Tive o prazer de conhecer o Flávio, que abriu muitas portas na Cooperativa, e o Dênis que nos assiste na parte de compras. O profissionalismo da Coopel é fantástico”. “A Cooperativa mostra claramente que ela se interessa e intensifica a assistência para que o Cooperado tenha um bom resultado”, reflete. Elmo é casado com Liégia Maciel de Oliveira e tem dois filhos,
Matheus e Camila, além da netinha, Alice. A fazenda possui cerca de 135 animais em lactação que produzem cerca de 20 litros diários da bebida.
 

Sempre Pensando Além

15 de Dezembro 2020

          O vendedor da farmácia Pedro Pablo Fabiano da Silva, 30 anos, começou sua trajetória na Coopel na Insumos II, onde ficou por um ano e meio aproximadamente. E há sete anos ele trabalha na farmácia da Cooperativa. No entanto, independente do setor, o jovem comemora a realização de um sonho. “Todas as pessoas de Pompéu desejam
trabalhar na Cooperativa. Realizei um sonho e tive a oportunidade de mudar de setor dentro da empresa”.


          O pompeano é formado em Processos Gerenciais pela Unopar, parceira da Coopel na educação superior dos colaboradores por meio de convênio. “A Cooperativa sempre nos incentiva a estudar e a minha meta é continuar crescendo junto com a Coopel seguindo o exemplo de vários colegas que estudaram e já conquistaram cargos melhores”, adianta. A formação acadêmica contribuiu positivamente para a rotina de Pedro no trabalho. “Com mais conhecimento recebo e atendo melhor os nossos associados e clientes”, frisa.


          Além da experiência, o espírito de coletividade de Pedro brilhou após uma baixa no estoque do setor onde ele atua. “Desde que o antigo estoquista saiu nós assumimos essa responsabilidade e a força tarefa tem dado muito certo”, reconhece. Além disso, Pedro também faz o serviço de manutenção nos pulverizadores.


          Para ele, é um orgulho fazer parte da Coopel, uma empresa que tem grande prestígio local e que não se furta a cumprir seu papel social para a cidade. É uma empresa grande de Pompéu que nunca deixa de contribuir com a sociedade.


          “Agradeço a Cooperativa por me dar a oportunidade de ter um trabalho e ter podido estudar. É daqui que tiro o sustento da minha família, da minha filha. Agradeço também todos os meus colegas de trabalho peladedicação e pelo companheirismo”, finaliza.